"Você Pode Aceitar Como Você Vê 2

“Você Pode Aceitar Como Você Vê

C: “Eu trabalhei muito duro pra aceitar o que valho a pena e me livrar da idéia de que o meu peso está relacionado diretamente com o meu valor como pessoa ou com o quanto você gustei as pessoas. E eu encontrei alguém que me quer como eu sou, sendo assim, que mostra exatamente isto.

Assim que, por ele e por mim, vou continuar a minha aventura saudável, comendo saudável e fazendo exercícios de cardio e pesos -todavia não pelo motivo de esteja preocupada com a minha aparência. O que faço pra ter mais tempo extra com ele. E: “você Pode aceitar como você vê, todavia não podes estar feliz com a maneira como você.

O socialismo operário é uma geração ampla da que tem forçosamente que estar excluída toda idéia encarnadora da ação legislativa e parlamentar, que corta, circunscreve, melhor dito, aquela concepção ao estreito espírito de um jogo. Sapateiros, vinte e um dias de greve; 15.000 trabalhadores. Pedreiros: 9.000 grevistas; Trinta e seis dias de desemprego, que finalizaram com uma transação.

Carpinteiros: 4.500 grevistas; Vinte e três dias; voltaram ao serviço com melhorias no horário e o jornal. Trabalhadores do porto: 57 dias de greve; 6.000 homens; sem sucesso. Marinheiros e foguistas: 4.500 grevistas; 57 dias de paralisação; excelente consequência. Motoristas de veículos: 8 dias; triunfo completo; Doze mil grevistas. Pintores: Quarenta e cinco dias de resistência; 3.500 homens; sucesso médio. Mecânicos, abundantes movimentos, um general triunfante; conquistam as 8 horas. Cocheros: diversos movimentos. Também foram movimentos huelguísticos os sombrereros, os fideeros, os padeiros, os escultores em madeira, os biseladores, a arte têxtil e outros.

O um de maio de 1904, a manifestação operária da FOA é atacada pela polícia que atira a respeito da multidão, deixando um marinheiro falecido e uma centena de feridos. Alguns manifestantes responderam com tiros a brutalidade policial, causando muitas baixas nos uniformizados. As greves e protestos recrudecieron, conseguindo avanços importantes na promoção da jornada de serviço de oito horas e o acréscimo do salário. Desde o dia 30 de julho a dois de agosto realizou-se o IV congresso da FOA registrado. um “Pacto de Solidariedade” e de um “Sistema de Organização”, que terão vigência até a atualidade. O poder repressivo pros anarquistas e o movimento operário em geral começou a acentuação.

A UGT propôs ao V Congresso de FORA assinar um pacto de solidariedade entre as organizações. Durante os dias 26 e trinta de agosto, a FORA realizou seu V Congresso, que contou com a participação de 100 sociedades operárias, 4 federações locais e um federação de ofício. Em suas primeiras declarações, acenava ao “companheiro Planas”, que havia atentado fallidamente contra o presidente Manuel Quintana. Entre outros tópicos tratados, recomendava seus associados “não deixar-se dirigir presos sem justa causa, chegando até a agressividade trágica para combater esses abusos policiais, devendo as sociedades a que pertencem prestar-lhes auxílio utensílio e moral”.

E o próprio tempo, como o FORA não tem absolutamente nada que acompanhar com o idealismo que pudessem dividir o trabalhador, recebe em seu seio todos os trabalhadores ou grupos de trabalhadores que desejam ingressar em suas fileiras. Assim como também lhe guia o congresso a consideração dê que a solidariedade não se decreta, é inerente à espécie. A FORA, desde deste jeito, foi um sindicalismo com descrição ideológica e uma proposta finalista. Dois anos depois, fracassou a primeira tentativa de unificar a FORA e a UGT (socialista). O ódio comum ao burguês e as necessidades comuns do trabalhador são capazes de designar em um dado momento, essa “unidade de categoria’.

  1. Branco pérola (acessível apenas no Japão)
  2. 3 Suco para perder peso de melão
  3. Dieta pro inchaço depois do parto
  4. você Pode transportar um haltere em cada mão
  5. Cumpre seus dias de descanso religiosamente ao aproximado que os exercícios
  6. 2 Boxe masculino

Mas, no momento em que se põe na mesa o defeito social, surgem os antagonismos e acontece a divisão. Como harmonizar, em uma greve, para os que sustentam a inevitabilidade de submeter as suas aspirações a um tribunal arbitral, e os que se opõem a toda e cada quantidade de conciliação, baseando o teu triunfo em uma ação direta e revolucionária?

, E no pressuposto de que os trabalhadores se encontrem frente à realidade de uma revolução triunfante, o ‘a sua unidade de categoria’? Você não surge de imediato a dificuldade ideológico, determinando o choque entre os partidários das diferentes teorias de reconstrução social? Não amaria de ser mal profeta, entretanto muito temor de que mais tarde ou mais cedo, este problema tático, será duramente pago pelo nosso movimento na República Argentina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima