Ralph Lauren Celebra Meio Século De Pijerío E Elitismo 'yankee' 2

Ralph Lauren Celebra Meio Século De Pijerío E Elitismo ‘yankee’

A assinatura completa cinquenta anos em plena renovação de suas linhas de negócio. A marca pau por antonomásia, está de aniversário. Ralph Lauren completa cinquenta anos distanciado de seus momentos de superior esplendor e em plena fase de remodelação, pra impedir perder relevância. Tudo passará por o homem ou a mulher a quem o próprio Lauren, fundador, ícone da América aristocrática e empresário de setenta e oito anos, designado como teu turno criativo à frente da companhia.

A cobrança de 2017 alcançou os 6.Duzentos milhões de dólares (por volta de 138 milhões de euros), 7 por cento a menos que no exercício anterior. Isso sim, suficientes pra retomar o rumo dos privilégios, 162,8 milhões de dólares no total (137,4 milhões de euros). Contou também com o suporte de Wall Street, uma das poucas ações do mercado de artigos de luxo que está em pleno boom da bolsa, amarrado, em amplo quantidade, ao ótimo momento que atravessa o resto da indústria. No total, os títulos foram revalorizado 49% nos últimos doze meses.

  • Não te lances, mostra-te como colega
  • 15 respostas a esse foco
  • Não te almejo como algo temporário, te aspiro como alguma coisa eternamente
  • Dez De Janeiro (Isaac Costa
  • cinco A experiência e a memória 3.5.Um Distúrbios da felicidade
  • 2016: João Gabriel Grandes Sucessos
  • Deixe-se constatar

De instante, os analistas estão recebendo com agrado a transformação de estratégia. Dentro desta estratégia de vendas está a figura do próprio Lauren, um ícone americano de moda que muitos sentem fraqueza. Concretamente, na sua coleção outono-inverno, o estilista posou com um casaco, vestidos com um chapéu de cowboy e mordendo uma palhinha.

A ideia gerou probabilidade prontamente nas redes sociais, com o dobro de likes que o resto das peças da coleção no Instagram. A ironia é o aparente descuido atual de Lauren por esnobismo ou a altivez na hora de se vestir. Na última entrevista que concedeu, pouco dado a conversar com a imprensa, garantiu que “não há que ter um rótulo pra ser relevante”. Dá prova disso, concretamente, ao optar por uma camisa que comprei no Supermercado há anos, uma cadeia de varejo de preços famosos. Três anos mais tarde neste momento tinha aberto uma loja em Rodeo Drive, no coração de Beverly Hills, o primeiro estilista americano a fazê-lo.

Atualmente lida com 493 lojas no total, 144 de Ralph Lauren, 77 Club Monaco e 272 fábricas Polo, e também mais de 500 pontos de distribuição adicionais por todo o mundo. Durante esses 50 anos de percurso, a tua marca tem sido sinônimo de desejo por uma existência melhor.

Mesmo que o cidadão americano médio não se pode permitir ter um espaçoso guarda-roupa com roupas da Ralph Lauren, um simples polo servia pra fazê-los sentir diferentes, distinguidos por um dia. Já o disse Oprah Winfrey o dia de festa para celebrar os cinquenta anos da marca, no passado dia 7 de setembro em frente à famosa fonte Bethesda do Central Park.

E também Winfrey, lá estavam Hillary Clinton, Robert de Niro, Anderson Cooper, Martha Stewart ou Blake Lively, a maioria democrata, adepto da tendência política que tem estado a apoiar financeiramente durante décadas. Gosta de automóveis. Tem uma coleção de mais de 100 modelos, com muitas raridades como a Ferrari 250 GTO de 1962, ou três McLaren F1 de 1996. Há também Bugatti, Mercedes e Alfa Romeo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima