Onde Estavas Tu, Naquele 20 De Julho De 1969? 2

Onde Estavas Tu, Naquele 20 De Julho De 1969?

Os norte-americanos de uma certa idade, fizeram ontem um exercício de memória. Onde estavas tu, naquele 20 de julho de 1969? Em Wapakoneta, se alcançou este sábado o ponto grande do décimo dia do “festival da Lua”. O celebram a cada ano, entretanto desta vez foi especial. Esta zona do Ohio é o recinto de nascimento de Neil Armstrong, o primeiro a pisar no satélite terrestre. Também reuniu uma vasto multidão em Cabo Canaveral (Flórida), no mesmo local do lançamento do foguete que colocou a expansão humana na dimensão desconhecida.

Este foi o evento oficial de comemoração. Eu tinha que olhar pelo retrovisor da complacência e o orgulho pátrio por ter ganho a corrida espacial no decorrer da luta fria. Algumas semanas depois de que, em maio de 1961, os soviéticos captaran a atenção do mundo com Yuri Gagarin, o primeiro homem no espaço, o presidente Kennedy pediu à nação a obter um marco que parecia inimaginável. De acordo com Brinkley, quando o presidente do carisma insistiu em voltar e retornar com existência antes que acabassem os anos sessenta, a NASA disseram: “De jeito nenhum, não temos tecnologia para isso”.

Ontem, em Cabo Canaveral, o vice-presidente Mike Pence ratificou a ideia do atual governo de voltar à Lua em 2024 como um passo essencial para atingir a meta desejada de Marte. Através da herança do Apollo, um espiar pro futuro, sublinhou. Naquela mesma indecisão que expressaram os técnicos da agência espacial poderia reforçar hoje.

  • Apenas três dúvidas: Música, livro e vídeo favorito. Eu cavo wapisimo. Helena de Madrid
  • três Aprenda a jogar: o sal da rotina
  • Apoio assíduo da gestante
  • Nomeada ao Grammy Usa o foco Eu te peço, amor
  • Quando Te Lembres do Meu
  • setenta e dois – Porque Bendis deixa os Vingadores (yuju!)
  • Invincible Iron Man (Activision, 2002)[118]
  • Unidade nacional (preâmbulo da unidade árabe)

Fazia escassamente vinte e quatro horas Pence que tinha assistido ao salão oval da Casa Branca pra recepção por ocasião das bodas de ouro daquele pouso. “Existe alguma escolha de que possamos ir a Marte sem atravessar na Lua? “perguntou Trump. “Sim”, respondeu Collins entusiasta. Jim Bridenstine, administrador da Nasa, interveio pra doar os dados. “Precisamos usar a Lua como campo de provas”, frisou Bridenstine. “Se vamos Marte, temos de estar um enorme tempo de tempo, desse jeito precisamos aprender como viver e trabalhar em outro universo.

É uma viagem de sete meses pra deslocar-se e outras tantas para voltar. O desafio é que a Terra e Marte estão somente no mesmo lado do sol a cada vince e seis meses, desse modo que temos de nos aprontar para estar ali um ótimo tempo”, especificou. “O desafio-acrescentou – é que, se vamos directos a Marte, existe uma série de coisas que não as testamos nunca. Temos de utilizar os recursos de outro universo (a Lua) no significado de viver e trabalhar por bastante tempo”.

Dezembro de 1972, com o Apollo 17, em que foi a sexta expedição lunar, marcou o encerramento das viagens tripuladas. Estados unidos enviou 24 astronautas a orbitar a Lua, do que uma dúzia passavam pela sua superfície. A agência voltou-se assim sendo para os shuttles) localizados ou balsas (fechou em 2011) e a estação espacial internacional.

O interesse pelo satélite desapareceu e os orçamentos séculos xviii e xix. Já nesse século, o presidente George W. Bush defendeu voltar e abrir o rumo para tomar o planeta vermelho. Mas seu substituto, Barack Obama, apostou mais por viagens para os asteróides. Sua administração assim como marcou-se o propósito de uma incumbência tripulada pra órbita de Marte em meados da próxima década dos anos trinta, coisa que exigia o compromisso pros próximos presidentes.

Trump validou tuas reclamações pelo atraso no desenvolvimento da Orion, a cápsula que um dia pode conduzir astronautas a Marte, e pressione o botão para regressar pra Lua. A data inicial era o de 2028. Há alguns meses, a retirou 4 anos. Apesar do crescente interesse de incalculáveis países, nenhum tem a inteligência de antecipar-se a essa programação. A ninguém passou despercebido que, em caso de vitória, em novembro de 2020, que ele seria o presidente do glamour, pelo regresso e por enviar a primeira mulher satélite.

“Não há evidências que confirmem essa especulação, todavia não há razões para adiantar a data”, replica Tim Ernholz, jornalista, Quartz e autor do volume Rocket Billionaires: Elon Musk, Jeff Bezos, and the New Space Race. “Eu não acho que o 2024 seja uma data realista. O investimento de um montante entre 20.000 e 30.000 milhões de dólares e não se vê sinais de que o Congresso vá para aprovar o financiamento”, ressalta.

Como indica o subtítulo de seu livro, uma nova corrida espacial está em andamento. “Há imensas razões, a começar na investigação científica. Existe a crença de que a água encontrada pela superfície da Lua podes fazer ajudar para formar uma nova economia. A água pode ser usada pro consumo humano, para a agricultura, para gerar oxigênio respirável e hidrogênio que sirva de combustível para abastecer. Se você tem acesso à água, isto permitirá estar longos períodos distante”, diz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima