E Tu Acha Que É Verdade? 2

E Tu Acha Que É Verdade?

O relógio anunciava a toda a hora o teu amanhecer. Ela é tão disposta prepara o chá. Ele orienta a Meca seus olhos, que prontamente não tuas orações. Sua origem, muçulmano. Sua mulher, ocidental. Sua servidão à sociedade, tão comum, amarga o nanico-almoço. Os cereais aos seus filhos, não. Quem sabe o que é um muçulmano?- perguntou o professor a seus alunos do ensino fundamental.

São pessoas que não podem ingerir carne, nem sequer consumir vinho – Respondeu Maria. E vivem de assaltar as pessoas boas, colocam bombas e vendem droga – gritou Joãozinho, com o murmúrio de aprovação da categoria. E tu domina como isto – perguntou o professor, visualizando surpreso. Eu falou o meu pai.

  • Trinta e três Robô 1-X
  • O sucesso pela vida está conectado com o crescimento p
  • 039 (Alexandre Durán)
  • Eu estou cansando desta distância, e se eu irei buscá-lo um dia

qual seu você localiza que é verdade? Sim -o Seu companheiro, Omar, também é muçulmano. Você acha que seria qualificado de todas estas coisas? Tu jogas todos os dias com ele. Não, Omar é bom -Não carecemos julgar ninguém por tua religião. Ali Babá levantou-se muito cedo. Não tinha sido apto de colar olho.

Desayunó presunto e uma lata de cerveja, que havia comprado pra ocasião, no Dia do bairro, na tarde anterior. Foi pra que lhe cortassem a barba e, já que estava, assim como o cabelo. Depois sentou-se no parque, e chorou. Terão sido as 10:00. Foi assim sendo que um camarada de seu pai, que estava indo pro serviço, o reconheceu. Aquela sordida quarto, só abrigava desespero e miséria. Um mouro! – Não é moro, mãe, é muçulmano. É igual, não aspiro mouros pela minha família.

Lembra-se do que lhe fizeram o avô. Mãe, não é moro,pelo afeto de Deus bendito, se nasceu na Indonésia. Não aspiro índios pela minha família, e muito menos mouros. Ah, e não os objetivos de Deus em tudo isto. como e onde eu meto se não? Estava com o propósito de morrer. Mohamed, os olhos úmidos e os pés nus, progride ao acaso, à beira do mar.

Cansado, aproveite a beleza do território, senta-se de frente para a imensidão, pegue teu violino e toca “The Partisan” de Leonard Cohen. Enquanto as notas se deixam levar pelo vento para se perder nas profundezas do mundo das flores aquáticas, Mohamed sente uma presença. Vira a cabeça e vê uma mulher de uma beleza indescritível, cuja pele pálida lembra as rosas brancas dos desertos de sua nação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima