Cinco Livros LGBTI Que você Tem que Ler Antes De Tornar-se Maior 2

Cinco Livros LGBTI Que você Tem que Ler Antes De Tornar-se Maior

A literatura de temática LGBT tem estado a toda a hora presente durante a história; às vezes de modo explícita, e em muitas vezes escondida. Mas aqueles eram outros tempos e, felizmente, são ainda mais os autores e editoras que se atrevem a divulgar enredos de temática homossexual, bissexual e transexual. No âmbito da literatura infantil e juvenil bem como apresentaram-se nestas narrativas.

Concretamente, multiplicou-se significativamente nos últimos tempos. De testes para novelas, passando por álbuns ilustrados e histórias em quadrinhos, cada modelo é ótimo para raciocinar estas histórias. Aqui vai uma seleção de cinco das mais destacadas. Paula tem duas mães é um álbum ilustrado escrito por Lesléa Newman em que se oferece abertamente um casal de lésbicas e tua filha Paula. É uma história terna que oferece diversos tipos de famílias e que ensina que o interessante é o amor, e não o número de pais ou de mães.

Foi publicado em Portugal no ano de 2003, pela mão da editora Bellaterra com tradução de Silvia Donoso e ilustrações de Mabel Piérola. Paula tem duas mães teve uma amplo acolhida e anos mais tarde pôde ser publicada na editoria de Alyson estado das Maravilhas, que em 1990 abriu uma linha de livros para pais gays e mães lésbicas.

Mas esse caminho de sucesso não esteve isento de conflitos: no ano de 1992, no Oregon (Estados unidos), começou a gestar uma campanha que objetivava formar uma lei que permitisse a discriminação dos homossexuais. E com a intenção de aprovação, a Aliança de Local de Oregon começou a distribuir exemplares do livro a apresentá-lo como um mau exemplo.

  1. Primeira aparição: Confíanza e sangue
  2. Bomba Chaya
  3. Cumbia Dos Boliches
  4. 1 Fontes e serviço de investigação jornalística 1.Um Manifesto de John Doe
  5. #551 vagabontu
  6. quatro Sei o teu refúgio de paz

felizmente, a lei não chegou a ser aprovado. Outro combate teve lugar em muitas escolas e bibliotecas públicas dos EUA, onde desapareceram misteriosamente até 500 exemplares do livro. A editora os aceitou de modo gratuita em todas as bibliotecas que o solicitasen e foram 500 pedidos, com os bibliotecários tambiéna favor de mostrar a diversidade dos livros. Sem território a perguntas, é um livro saboroso e divertido que se lê com muito afeto. Considerada como um exemplo paradigmático de bildungsroman, o romance de aprendizagem, esse livro de Inger Edelfeldt narra o acordar sexual e a assunção da homossexualidade de um piá de Estocolmo chamado Jim.

É um menino retraído, muito estudioso e tímido que vive em um asfixiaste recinto familiar. Escrito em sueco, teu título original é Duktig pojke! Jim no espelho tem assim como uma versão radiofônica e, mais há pouco tempo, adaptaram o romance da ópera dentro de um programa pedagógico para garotas do ensino fundamental. Em Portugal não se publicou até 1996, e é traduzida por jorge Miguel. Sem espaço a perguntas, é um livro de cabeceira pra tratar o conteúdo da homossexualidade.

Não é curta nem sequer dá pânico cuidar desses tópicos, e isso é de agradecer. Esta é a história de uma guria chamada George, que para toda humanidade é uma criancinha. Esta é a alegação de que parte George, a história de uma moça travesti que deseja que o mundo todo veja como se vê a si mesma. Destinada a um público infantil, todavia poderá ser perfeitamente lida por leitores de mais idade, destaca-se como a ingênua espiar de seu personagem põe em relevo os preconceitos dos adultos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima