Anine Bing, A 'it Girl', Que Não Segue Tendências 2

Anine Bing, A ‘it Girl’, Que Não Segue Tendências

A designer e it girl Anine Bing é fonte de tipo pra milhares de mulheres de o mundo todo. Esta blogueira dinamarquesa, de 33 anos, quebrou os padrões da moda, e tem demonstrado que não é preciso acompanhar todas as tendências que se impõem a cada ano pra ser uma influencer. Quatro anos mais tarde, a assinatura Anine Bing é comercializado em mais de quatrocentos pontos de venda multimarcas de o mundo todo e, nos últimos meses, abriu inúmeras lojas em cidades europeias, como Madri ou Londres. O que é para você a moda? Acho que a moda é localizar o seu tipo pessoal e se vestir como você gosta, independentemente das tendências.

Não não é bom segui-las, todavia cada pessoa necessita se vestir como se notar mais confortável. Começou na indústria como padrão, aos quinze anos, mais tarde abriu teu site e há quatro anos decidiu elaborar sua própria marca. Por que se lançou no universo do design? Sempre senti atração por moda, adoro de provar com diferentes roupas e tecidos e criar meus looks.

Quando era pequena collía as jaquetas e bolsas de minha avó e este interesse por experienciar cresceu quando comecei minha carreira como padrão. Há 5 anos eu decidi montar a minha própria marca, visto que eu desesperadora o acontecimento de não localizar um jeans que me ficassem bem. Assim que pensei em lançar a minha própria linha de calças que me ficassem perfeitos a mim e a outras mulheres que também têm este defeito.

Como define o estilo de tua assinatura? É um reflexo do meu estilo: claro e confortável. Quero que minha marca faça sentir bem pras mulheres, que elas se sintam como são e que encontrem roupas para o seu dia-a-dia, que sejam interessante, mas apurado. Quem é sua referência no universo da moda?

A verdade é que não me fixo muito o serviço dos designers. Me inspirou a roupa que eu vejo nos mercados vintage, livros e filmes, nos anos setenta e em como vestia naquela década minha avó. Eu bem como amo muito de observar como vestir-se a pessoas em aeroportos e pela avenida, me fixo nos detalhes e me ajudam a me inspirar.

Você ama trabalhar desigual do resto dos designers e a cada mês lança uma nova coleção. Sim, eu faço isto pra preservar o interesse de meus freguêses. Sou muito criativa e sempre estou pensando em projetar outras roupas. Se uma criancinha vê uma camisa que gosta, no meu website eu pretendo que você a comprar de forma imediata, não ter que aguardar. Que sentido tem a acompanhar uma coleção sobre a passarela e esperar seis meses pra poder obter alguma das peças de roupa que você gosta?

  1. Dynfra Vialidades
  2. Acelerar os padrões de consumo e geração sustentáveis em cidades de todo o mundo. [79]
  3. 4 O quase defeito que cometo com este senhor
  4. livros e material escolar são totalmente gratuitos pra todos os alunos
  5. nesta era globalizada, o diferenciar-se é menos difícil ou mais complexo do que antes
  6. Gonzalonardo (conversa) 22:53, 31 outubro 2018 (UTC)

você Acredita que a indústria necessita repensar o modelo de consumo atual? Definitivamente sim. Existem novas marcas que de imediato estão mudando e apostam em vender muitas das peças que apresentam sobre a passarela no momento em que o desfile. Acho que é uma legal idéia e que se tem que trabalhar nessa linha pra variar o paradigma atual. Sua marca está em expansão pela Europa. Na semana passada, abriu sua primeira loja em Londres e hoje o faz em Barcelona.

Sim, é um sonho. Eu estou apaixonada por Barcelona. Há doze anos eu vivi durante alguns meses pela cidade e me fascinou. Eu gosto muito de tua arquitetura, gastronomia e cultura de teu povo. Eu acho que as moças vestem muito elegantes, porém ao mesmo tempo sexy e isso agrada-me muito. Tem mais de 359.000 seguidores no Instagram e diversos a consideram uma it girl . Você se vê como uma influencer?

É muito lisonjeiro que lhe digam que você é uma it girl, entretanto eu me vejo a mim mesma como alguém que inspira os outros. Você pode Me doar um conselho pras meninas que querem se tornar it girls? Não há dúvida que cada mulher tem que localizar o seu tipo. Não deve copiar, porém ser ela mesma.

As pessoas te reconhecerão por como és, e se você precisa se perceber confortável, em razão de então teu vestido cintilante e a gente vê que você tem personalidade. Quais são as peças que não devem faltar no armário de uma mulher? São necessários três peças: um casaco de pele, uns skinny jeans e botas. Eu amo e desse modo a todo o momento se são capazes de descobrir pela minha loja. São os básicos para o sucesso. Também sou a favor de aconselhar um tanto o laço prendedores com uma t-shirt um tanto escotada. Não tenho dúvida que fica muito perfeito e é muito feminino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima